sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Marte Colonizado?

Por Vinícios Silva.


Parece que vem aí o "Big Brother Marte"...

A Mars One é a Organização por Trás de um dos projetos mais ambiciosos de todos os tempos: A Colonização de Marte. Após abrir inscrições no começo do Ano, a Mars One divulgou recentemente que mais de 100 mil pessoas se inscreveram para fazer parte do projeto, e o número de inscritos deve crescer nas próximas semanas, segundo Bas Leansdorp, idealizador da iniciativa.

A Colonização do planeta vermelho, está prevista pra começar em 2023. Parte dos fundos necessários para o projeto está sendo arrecadada através do próprio site da Mars One, onde é possível assistir o documentário One Way Astronaut (Astronauta sem volta) por uma taxa de US$ 2,95 (R$ 6,79 em valores atuais) para visualização online ou US$ 4,95 (R$ 11,32 em valores atuais) para o download.

Das Mais de 100 mil inscrições vieram de diversos lugares do mundo: 120 países, incluindo Brasil e Portugal.

O Processo de Seleção será constituído por quatro etapas:


1ª Etapa:Análise de currículos, carta de intenção e vídeo enviado pelo candidato.
2ª Etapa: Atestado médico e entrevista com comitês internacionais.
3ª Etapa: Um Candidato de cada país será escolhido. Essa etapa terá transmissão pela TV e internet em cada país, e, a população desse países é quem decidirá seu próprio representante em um grupo de 20 a 40.
4ª Etapa: os candidatos finalistas, que já devem falar inglês fluentemente, irão participar de um evento televisionado em todos os países participantes no qual 24 deles serão selecionados, em uma espécie de reality show.


Possibilidade de Sair do "Roteiro"?

A maioria dos incrédulos veem a questão financeira como o maior obstáculo para a efetivação do Mars One, já que é necessário cerca de US$ 6 bilhões para realizar o projeto. Esse dinheiro todo será recolhido por meio de investimentos privados, de doações pelo site e, principalmente, por meio da venda de imagem ou de qualquer outro produto que o reality show produzir. Mas também existe o dinheiro da taxa de inscrição dos interessados em serem os astronautas.

Para que esses possam ir a Marte (e não voltar nunca mais) devem preencher um cadastro com currículo, vídeo e motivos pelo qual estão fazendo a aplicação, e pagar um valor de inscrição. Esse valor varia conforme o PIB de cada país. Nos Estados Unidos, por exemplo, custa US$ 38; já no México, US$ 15. Fazendo uma média descompromissada de US$26 por pessoa e levando em consideração que os caras esperam alcançar 500 mil candidatos até o dia 31 de agosto, quando encerram as inscrições, eles já teriam cerca de US$ 13 milhões na conta.


Ah, já é alguma coisa, mesmo que não represente 1% da necessidade monetária do Mars One. Mas tudo bem, pois a intenção de Bas com a taxa de inscrição não é engordar o caixa consideravelmente. “Nós quisemos que (o valor) fosse alto o suficiente para que as pessoas realmente tivessem que pensar na proposta e baixo o bastante para que qualquer um fosse capaz de pagar”, disse o CEO do Mars One.A maioria dos incrédulos veem a questão financeira como o maior obstáculo para a efetivação do Mars One, já que é necessário cerca de US$ 6 bilhões para realizar o projeto. Esse dinheiro todo será recolhido por meio de investimentos privados, de doações pelo site e, principalmente, por meio da venda de imagem ou de qualquer outro produto que o reality show produzir. Mas também existe o dinheiro da taxa de inscrição dos interessados em serem os astronautas.


Para que esses possam ir a Marte (e não voltar nunca mais) devem preencher um cadastro com currículo, vídeo e motivos pelo qual estão fazendo a aplicação, e pagar um valor de inscrição. Esse valor varia conforme o PIB de cada país. Nos Estados Unidos, por exemplo, custa US$ 38; já no México, US$ 15. Fazendo uma média descompromissada de US$26 por pessoa e levando em consideração que os caras esperam alcançar 500 mil candidatos até o dia 31 de agosto, quando encerram as inscrições, eles já teriam cerca de US$ 13 milhões na conta.




Ah, já é alguma coisa, mesmo que não represente 1% da necessidade monetária do Mars One. Mas tudo bem, pois a intenção de Bas com a taxa de inscrição não é engordar o caixa consideravelmente. “Nós quisemos que (o valor) fosse alto o suficiente para que as pessoas realmente tivessem que pensar na proposta e baixo o bastante para que qualquer um fosse capaz de pagar”, disse o CEO do Mars One.



Conclusão Final:

Mars One é um projeto de um engenheiro neerlandês, Bas Lansdorp, para instalar uma colônia humana no planeta Marte e ocupá-la a partir de 2023.



Por Vinícios Silva
Veja mais textos do autor em:

Nenhum comentário:

Postar um comentário